Acadêmicos de Direito da SETREM fazem visita técnica ao Presídio de Santa Rosa

Os acadêmicos do Bacharelado em Direito da SETREM participaram de visita técnica ao presídio de Santa Rosa na sexta-feira, 27. Além de a atividade proporcionar conhecer in loco a forma como vivem e são tratados os presos, permitiu a reflexão sobre os conhecimentos obtidos nas aulas de direitos humanos, filosofia, sociologia, teoria geral do estado e até de metodologia da pesquisa e hermenêutica, já que o conhecimento adquirido no curso é transversal, de modo interdisciplinar.

“Com a visita, o que se percebeu nas reações dos acadêmicos foi um misto de surpresa e espanto com sensação de mudança de paradigmas, pois somente adentrando no espaço prisional é que se consegue ter a real noção do que é ter a sua vida privada de liberdade e quanto esse valor é importante para o ser humano”, destaca o coordenador do curso, Marcos Scherer.

Segundo ele, aprendeu-se, principalmente, que ao operador jurídico não compete julgar ou pré-julgar quem é o ser humano mais merecedor ou então menos merecedor de respeito e consideração, e quem é o que merece ou não punição e de que tipo. “Independentemente dessa mensuração de valores, é necessário um espaço com o mínimo de dignidade, que poderá permitir ao final do cumprimento de qualquer pena, a oportunidade de ressocialização, que é o propósito único de um sistema punitivo. Não fosse assim, seria apenas vingança, o que nossa sociedade não tolera já faz muito tempo”, complementa Scherer.

A atividade tem continuidade. Os acadêmicos, a partir desta experiência, vão desenvolver seus primeiros textos de pesquisa acadêmica com base no que viram e puderam presenciar com a visita ao Presídio de Santa Rosa. Depois das pesquisas, os docentes estarão promovendo seminários, apresentações orais e entrega dos textos para avaliação nas disciplinas, levando o aproveitamento da atividade prática para dentro da sala de aula.

Fonte Assessoria de Imprensa / Paulo Vitor Daniel

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *