Agindo em favor do ambiente em um mundo que queremos construir

O Programa AABB Comunidade do município de Campo Novo, já no início de suas atividades executou seu primeiro projeto em educação ambiental, sendo que a primeira ação foi a plantação de um pomar de árvores nativas frutíferas, no terreno do próprio clube. As mudas para o plantio foram doadas pela Agência do Banco do Brasil de Campo Novo, uma ação socioambiental mediada pelo evento “Banco do Brasil Voluntariado” que comemorou os 100 anos de atuação do Banco do Brasil no estado do Rio Grande do Sul.  Além de educandos e educadores, participaram do plantio das mudas o gerente da Agência do Banco do Brasil, senhor Ademir Inácio Ritter, bem como o presidente da AABB Comunidade, senhor Flávio Luiz Borges.

De acordo com a professora de educação ambiental, Gianini Carvalho Schuh “Pequenas atitudes, grandes resultados, a tarefa de preservar pertence a cada um de nós. Pensar no futuro é agir no agora. Ações simples como plantar árvores contribuem em muito na redução da sensação térmica, além de embelezar, fornecer sombra e frutos, servem de micro-habitat para a fauna, uma vez que pássaros e insetos utilizam seus frutos e se abrigam nelas. O simples gesto de plantar uma árvore, implica em vários benefícios ao ser humano e a natureza”.

A coordenadora do Programa, Valquiria de Morais, enfatiza que a educação ambiental é um processo educativo, responsável pela formação de uma nova consciência, um saber ambiental que se traduz em valores éticos e políticos de convívio social e de mercado o que implica a questão distributiva entre benefícios e prejuízos da apropriação e do uso dos recursos naturais. Devendo ser direcionada para o exercício da cidadania ativa, considerando seu sentido de pertencimento e corresponsabilidade que, através da ação coletiva e organizada promova mudanças de atitudes. Este trabalho surgiu da preocupação com os problemas ambientais, com a qualidade de vida, bem como da preservação da vida no planeta, no entanto seu contexto, torna-se inevitavelmente mais abrangente, atingindo aspectos sociais, econômicos, políticos, éticos e culturais. Uma vez que a depredação do planeta e o esgotamento dos seus recursos são consequências do modelo de desenvolvimento econômico vigente. Além de vivenciarmos as consequências do desequilíbrio ambiental, também acompanhamos através dos meios de comunicação diversas catástrofes climáticas bem como as mudanças que estão ocorrendo em nível acelerado no clima do planeta.  É fato que pessoas no mundo inteiro preocupam-se com o futuro do planeta, com o aquecimento global, furacões, secas, enchentes, extinção de milhares de animais e vegetais, derretimento das camadas polares, em resumo a vida ameaçada de extinção.  Não há talvez como voltar atrás, mas há como frear, racionalizar, humanizar, equilibrar, refazer, repensar, buscar outras possibilidades. A educação constitui-se como um agente de transformação da sociedade, através dela é possível,  conscientizar, sensibilizar e, sobretudo atuar, para que haja uma mudança de atitude em relação ao ambiente, basta dar ao tema sua devida importância. (Assessoria de Imprensa)

 

Foto: Assessoria de Imprensa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *