Anteprojeto da ponte internacional em Porto Xavier deve ficar pronto no mês de agosto

A Prefeitura de Porto Xavier contratou a empresa que vai elaborar o anteprojeto da ponte internacional entre o município gaúcho e San Javier, na Argentina. A empresa vencedora da concorrência pública se comprometeu a concluir os trabalhos em 90 dias o que permitirá a apresentação do anteprojeto já no mês de agosto. Segundo explicou o deputado Darcísio Perondi (MDB-RS), com o documento pronto, a prefeitura poderá doá-lo ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), abrindo espaço para que sejam empenhados ainda este ano os R$ 81 milhões aprovados para a obra no Orçamento Geral da União de 2018, através de uma Emenda Impositiva da Bancada Gaúcha.

“A notícia da contratação da empresa é muito boa. É fundamental que este dinheiro seja empenhado, ou seja, reservado pelo Governo Federal, ainda em 2018. Quando o anteprojeto estiver pronto, vamos fazer uma grande festa em Porto Xavier, com lideranças políticas, religiosas, industriais, comerciais e comunitárias, para entregar o documento ao DNIT. Com o empenho, a ponte entrará no grupo das obras prioritárias do Governo”, comemorou Perondi, que é vice-líder do Governo na Câmara.

Darcísio Perondi informou que um grupo de políticos, formado por deputados e prefeitos, além de técnicos brasileiros, vai a Buenos Aires nas próximas semanas, para mobilizar parlamentares da Argentina, especialmente os representantes da região da fronteira. “Precisamos envolver mais os argentinos em favor da ponte internacional”, disse. Perondi, inclusive, foi o responsável por um encontro entre os presidentes Michel Temer e Mauricio Macri, mês passado, no Peru, durante a Cúpula das Américas. Segundo relatou Perondi, Temer afirmou ao colega argentino que o Brasil quer a ponte e Macri se comprometeu a impulsionar o projeto em seu país.

Dos R$ 81 milhões previstos na Emenda da Bancada Gaúcha exclusivamente para a ponte internacional, uma parte foi contingenciada. Portanto, R$ 60 milhões estão garantidos inicialmente para a obra. Segundo Perondi, se a Argentina precisar destinar algum recurso para a obra, será somente em 2019 e apenas uma parte menor, para a construção de acessos e posto alfandegário.

O anteprojeto vai detalhar desde a localização da ponte e suas dimensões, até os acessos à estrutura, tanto do lado brasileiro quanto do argentino. O modelo a ser adotado deverá ser o Regime Diferenciado de Contratação (RDC), por ser o modo mais ágil, uma vez que o projeto é realizado de forma simultânea à execução da obra.

Assessoria de Imprensa Darcísio Perondi


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *