Cresce número de agroindústrias em Redentora

A quantidade de agricultores que decide investir na agroindustrialização de alimentos tem crescido em Redentora, na região Celeiro do Estado. Os últimos dados da Emater/RS-Ascar mostram que três famílias estão em processo de legalizar seus empreendimentos. Em 2018 foram legalizadas duas agroindústrias, dando continuidade a um processo iniciado no município em 2012, quando entrou em funcionamento a primeira agroindústria familiar certificada de Redentora.

O prédio da Agroindústria Mânica, na localidade de São Pio X, está pronto, aguardando apenas os últimos retoques. “Pensamos em inaugurar nossa agroindústria em novembro”, disse a proprietária, Marli Mânica. Também irão trabalhar com Marli, na produção de massas, pães, cucas e bolachas, suas duas filhas, Fernanda, de 29 anos, e Ana Caroline, de 23. “O prédio tem uma sala de produção, uma de estoque, um banheiro e um vestiário”, descreveu o extensionista da Emater/RS-Ascar que acompanha o projeto, Luiz Lyra.

O Rio Grande do Sul adota política de incentivo à legalização, oferecendo aos agricultores orientação técnica na elaboração do projeto, curso de Boas Práticas de Fabricação e espaços privilegiados de comercialização, a exemplo das feiras que ocorrem no Estado. Cerca de 3.480 famílias, aderiram ao Programa Estadual de Agroindústria Familiar (Peaf) no estado. A porta de entrada ao Programa são os escritórios da Emater/RS-Ascar. A coordenação do Peaf está sob a responsabilidade da Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr).

Fonte/Foto: Assessoria de Imprensa da Emater/RS-Ascar – Regional de Ijuí

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *