Sem Título-1
  • Por: Andrieli Battu da Silveira
  • Contato: andri.battu@hotmail.com
  • Formação / Profissão: Estudante

Crônica das Pessoas da Cidade

Sempre soube que a cada passo que damos a vida nos apresenta muitas surpresas, encontros e desencontros, alegrias e tristezas, amor e dor. Sabemos também que nossa existência é um grande mistério, e nosso futuro é tremendamente incerto aos olhos humanos, os quais só são capazes de distinguir dias bons e dias ruins quando estes, infelizmente, chegam ao nosso encontro. Contudo, mal sabia eu que algumas surpresas poderiam ser tão desagradáveis e desesperadoras. Dentre todos os mistérios, certamente, o mais difícil de ser compreendido é a morte, mesmo que seja o único fim certo. Não sabemos com clareza o que nos acontece quando passamos para o outro lado, mas eu posso lhes afirmar, com muita gratidão, de que tudo que éramos antes de partir, continuaremos sendo, eternamente.

Embora seja muito (MUITO) difícil aceitar que o elo físico que antes tínhamos seja subitamente interrompido, sufocando o coração, há de se compreender que ao mesmo tempo da dor, ascendo no peito uma força de espírito que erradia luz, fazendo pulsar as veias na esperança certa do reencontro, tornando vivas as memórias e lembranças que nos ficam de herança…

Amigos leitores, ainda que eu tentasse, jamais conseguiria explicar a vocês o que é viver este momento, até porque não é a vida terrena vai se encarregar de nos explicar. Portanto, eu apenas vos digo que o caminho mais fácil para recomeçar, embora doloroso, é aceitar. Afinal, no momento em que nos dispusemos a viver está vida sabíamos das inúmeras provações e surpresas que nos acometeriam, e somente a nossa fé será capaz de nos conduzir mediante os incertos percursos do tempo.

Quanto ao Meu Amado Pai, poderia elencar muitas virtudes, qualidades e glórias que conquistou, mas não me preocupo em descrevê-las aqui por completo, pois era ele um homem demasiadamente discreto, humilde e sem vaidades, quem teve o prazer de conhecê-lo sabe muito bem. Mas acho justo compartilhar com vocês alguns dos nobres ensinamentos que nos legou.

“A vida é um problema, e você tem que se preocupar em resolver.” Meu Pai sempre foi para mim, e toda nossa família, motivo de muito orgulho. Jamais faltou com nada, sejam os gestos carinho e amor, os quais transbordavam do seu peito sem esforços, ou todo o sustento da casa. Não foi atoa que conquistou a qualificação de Rambo, pois além de sua inteligência impetuosa, tratava de tudo com muita dedicação, sabedoria e força de vontade, transmitindo confiança em suas atitudes, sempre nos deixando bem claro que problemas surgem a todo instante, e temos que estar preparados para resolve-los, e logo, receber outro ainda mais complicado.

“Quem anda com porcos farelo come.” Manico, sempre preocupou-se em cultivar amigos com muito zelo, doando-se por completo.Nos ensinou que somos o reflexo das pessoas que convivemos. E ele, teve a graça de cultivar pessoas do bem, gente de muita luz, construiu momentos incríveis ao lado daqueles que nomeou como irmãos. Hoje, esses mesmos são os que choram conosco, mas também confortam nossos corações, nos trazendo a certeza de que nesta vida as únicas conquistas que permanecem eternas são as que guardamos do lado esquerdo no peito.

“A “felicidade” são pequenos instantes, injusto seria se ela dependesse de dinheiro e pessoas. Eu sou feliz”. Uma de suas características mais bonita, da qual lembramos sem hesitar, é o riso solto, alegre, vibrante e contagiante do nosso Aldair. Um humano de arcada dentária completa, 36 dentes, que junto da transparência do seu ser formavam um conjunto de muita sintonia, deixando fluir a risada mais encantadora, sinônimo da felicidade que o acompanhava.

“Não importa se você é a lebre ou o leão, quando o dia amanhecer comece a correr.” Quantas vezes eu ouvi esse provérbio, carregado de amor e motivação. Meu doce Pai preocupou-se em nos preparar para a sua partida. Foi responsável, junto de minha mãe, pela educação e construção do caráter meu e de meu irmão. Seremos o que dele ficou neste plano, e faremos o possível para mantê-lo orgulhoso em sua Vida Eterna, onde hoje galopa junto do Patrão Celestial, iluminando e conduzindo o caminho daqueles que tanto amou e protegeu.

Nosso anjo protetor, a estrela que nos ilumina e a força que nos move. Todo o amor que nos ensinou será o motivo do remeço. E a cada novo amanhecer, quando o sol brilhar, começaremos a correr…

Eu Te Amo. Nós te Amamos. Inexplicavelmente.


Um comentário em “Crônica das Pessoas da Cidade

  • 18 de maio de 2018 at 16:10
    Permalink

    Andri, que lindo e verdadeiro cada palavra sua.

    muita força querida.
    parece que estou vendo vc mais seu pai subindo ali no posto, e vindo pra cá sempre lindos e felizes, lindas lembranças…. um grande abraço pra vc e sua família…

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *