ANDRIELI
  • Por: Andrieli Battú da Silveira
  • Contato: andri.battu@hotmail.com
  • Formação / Profissão:

Crônicas das Pessoas da Cidade

Outra dia postei (no instagram) uma foto com a seguinte mensagem:

“A vida não precisa ser perfeita para ser maravilhosa”  …

De imediato uma amiga me questionou: É um livro? Porque se for eu faço questão de ler…

Assim, de forma bem simples ficou transparente naquela colocação espontânea a necessidade que vive em nós de seguir, qualquer coisa, que nos leve a conquistar uma vida maravilhosa.

Seja um livro, uma simples mensagem, uma inspiração, um filme, uma história, um exemplo que deu certo. Isso é normal, é o inerente a condição humana, considerando que 95% de tudo aquilo que fazemos é cópia do que já vimos um dia. Isso não está errado, bem pelo contrário, é inteligente aprender com os erros e acertos dos outros.

Mas em contrapartida é muito importante que tenhamos a compreensão de que NÃO HÁ como seguir um padrão para alcançar uma vida maravilhosa. NÃO HÁ PADRÕES!

Em outra oportunidade eu já me manifestei sobre isso, usando vários exemplos, mas só para reforçar: para a Fulana ser feliz pode depender de acordar as 5h, meditar, fazer exercício físico, relaxar em um banho de 5min, na sequência comer torradas integrais e uma porção de mamão com aveia, checar a caixa de mensagens, trabalhar por 4h, fazer uma pausa para o almoço, trabalhar por mais 4h, praticar o  hobby preferido, jantar ovos e saladas, fazer a leitura de um bom livro de autoajuda,  dormir por 8h. Agora, para a Ciclana a felicidade pode depende de conseguir dormir até as 09h ou 10h sem interrupções, comer um fest-food no almoço, trabalhar por 6h ou 7h seguidas, fazer uma caminhada com a amiga, parar para tomar um chopp no barzinho, escutar uma boa seleção musical, stalkear alguns famosos e cair no sono.

E então, alguém se habilita em dizer quem delas está “certa”?

Eu não tenho conhecimento suficiente, muito menos o direito, de fazer tal definição. Agora, tem como dizer quem delas é mais feliz? IMPOSSÍVEL. Porque é evidente que felicidade não depende de padrões. Talvez a ciência posso dizer, e comprovar, que algumas atividades gerem mais endorfina, dopamina, serotonina e ocitocina que outras, também, diz que ler diariamente é importante, levar uma alimentação balanceada traz inúmeros benefícios, fazer exercícios matinais prolongam a nossa vida, e quanto a isso, eu não me oponho de maneira alguma. Mas o que me deixa bastante irritada é a postura humana de não colocar o respeito frente as relações. Precisamos entender que não temos o poder de definir felicidade, isso é um estado de espírito, não há a menor possibilidade de dizer qual é a vida mais maravilhosa. Então, vamos focar em pautar nossas ações em atitudes que tenhamos orgulho de divulgar, vamos compartilhar mais amor e fazer uma vida maravilhosa, autêntica e honesta, isso sim vai nos gerar muitos hormônios de felicidade, e assim, ninguém será capaz de segurar nosso riso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *