Cuidado com os golpes de estelionato!

Todos os dias, quando lemos os jornais, acompanhamos os sites de notícias, além do rádio e da TV, nos deparamos com notícias sobre golpes de estelionato, entre os mais comuns estão golpe do bilhete premiado, torpedo premiado, falso sequestro, carro quebrado e falsa casa na praia – mais comum nas temporadas de verão.

Em 2017, segundo a Secretária de Segurança Pública do Rio Grande do Sul o município de Três Passos registrou 32 ocorrências em razão de estelionatos, número onde estão incluídos esses tipos de golpes. Já e 2018, até agora, foram registrados 5 crimes de estelionato. A Polícia Civil local não conseguiu informar quantos deste são relacionados a golpes. O delegado William Garcez, chefe da delegacia de Crissiumal, nos dá algumas dicas para não cair nos principais golpes aplicados na região.

O crime de estelionato – onde o autor obtém vantagem ilícita em prejuízo alheio – prevê uma pena de prisão de até cinco anos e multa. Neste crime, a princípio, não há violência e nem grave ameaça. A arma do estelionatário é o poder de convencimento, a persuasão.

Falso Sequestro

A vítima recebe uma ligação. Do outro lado da linha alguém diz que está em poder de seu filho e exige dinheiro para libertá-lo. A pessoa não pode se apavorar. Trata-se do golpe mais manjado de todos. Desligue o telefone imediatamente e busque contato autêntico com a suposta vítima. Se não conseguir, converse com familiares. Não forneça nenhum dado e não efetue qualquer depósito. Após, dirija-se à Delegacia de Polícia informando o fato.

Remessa de dinheiro

Dinheiro do exterior: Registros de ocorrência policial foram confeccionados para a informar golpes que vêm sendo aplicados por meio do Facebook. Os registros dão conta de artimanha onde um perfil falso dizendo-se soldado ou embaixador de país estrangeiro inicia conversa privada e, após ganhar a confiança da vítima, diz que irá fazer uma remessa de dólares ao Brasil. Após longas conversas, o engodo procede com o golpista solicitando depósito de dinheiro para “liberar mala diplomática que chegou ao Brasil com os dólares” ou, então, para “liberar mala diplomática que está presa na alfândega brasileira”. Interrompa imediatamente a conversação.

Não forneça nenhum dado e não efetue qualquer depósito. Após, dirija-se à Delegacia de Polícia para informando o fato, levando o URL do perfil utilizado pelo golpista e extrato completo da conversação mantida.

Carro estragado

O estelionatário se passa por parente ou conhecido da vítima, dizendo que está com o carro quebrado e que precisa de dinheiro para o guincho ou para pagar o mecânico. Acreditando que o parente ou conhecido está com dificuldades, a vítima realiza o depósito bancário ou ainda coloca crédito de celular para supostamente realizar contato com a seguradora. Ao receber este tipo de telefonema adote as seguintes medidas:

1) Desligue o telefone;

2) Não faça qualquer tipo de depósito ou transferência bancária;

3) Não forneça nenhum dado (nome completo, CPF ou RG);

4) Procure contato autêntico com a pessoa que se diz na ligação;

5) Após, procure uma Delegacia de Polícia e informe o fato.

Outra dica: Antes de desligar o telefone, pergunte ao “suposto parente” algo que somente a verdadeira pessoa poderia saber, como o nome do seu cachorro, um fato familiar recente, etc.

Me faça um favor

Diversos registros de ocorrência policial já foram confeccionados para informar golpes que vêm sendo aplicados por meio do telefone. Os últimos registros dão conta de artimanha onde os meliantes se utilizam do nome de pessoas conhecidas na cidade (secretários municipais, comerciantes, etc.) e, junto a estabelecimentos onde possuem correspondentes bancários, solicitam o reabastecimento de telefones celulares, o pagamento de contas, boletos, etc., argumentando que “mais tarde” levarão o respectivo dinheiro. Ao receber este tipo de telefonema adote as seguintes medidas:

1) Desligue o telefone;

2) Não faça qualquer tipo de depósito ou transferência bancária;

3) Não forneça nenhum dado (nome completo, CPF ou RG);

4) Procure contato autêntico com a pessoa que se diz na ligação;

5) Se tiver condições, compre um telefone com identificador de chamadas e fique atento, pois, na maioria dos casos, esses telefonemas são realizados sem identificação de chamada ou com números estranhos a sua lista.

6) Após, procure uma Delegacia de Polícia e informe o fato.

Para evitar cair nos golpes por telefone a Polícia Civil orienta que antes de fazer qualquer transação bancária a pedido de um parente ou amigo, a pessoa entre em contato por telefone ou pessoalmente, com que está fazendo o pedido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *