Depoimento da primeira testemunha do Caso Bernardo durou cerca de 4 horas

A segunda-feira, 11 de março, foi agitada em Três Passos. Teve início o julgamento dos acusados pelo assassinato do Menino Bernardo Boldrini, em 2014. São réus o pai de Bernardo, Leandro Boldrini, a madrasta, Graciele Ugulini, a amiga de Graciele, Edelvânia Wirganovicz e o irmão desta, Evandro. Todos respondem por homicídio qualificado e ocultação de cadáver; Leandro ainda é acusado de falsidade ideológica.

O primeiro depoimento foi da Delegada Caroline Bamberg Machado, resumiu para a juíza conclusões da investigação. Ela era delegada titular de Três Passos e esteve a par de todas as diligências. Promotor passa a fazer perguntas.. Caroline esteve disponível para responder perguntas dos integrantes do Tribunal de Justiça e Ministério Público, além de advogados de defesa dos réus por cerca de quatro horas.

Durante o depoimento, Caroline relembrou alguns fatos sobre o Caso. Delegada diz que opinião geral era de que Bernardo sofria com abandono e desafeto do pai. A demora no registro do desaparecimento fez parte de estratégia dos réus para montar álibi. Leandro teria efetivamente procurado o filho dois dias depois.

Segundo a Delegada, a confissão de Edelvânia uma prova que, associada à outras, ajudaram na sua convicção. Além disso, ela relembra que Edelvânia nunca citou o irmão, Evandro, durante as confissões. Caroline também afirmou que não há prova cabal da participação de Leandro no crime.

Após, iniciou o depoimento da Delegada de Polícia Regional de Três Passos, Cristiane Moura, que participou da investigação dos fatos.  Ela começa explicando que hipótese de assassinato ganhou força com os depoimentos dando conta do abandono e descaso do pai e da madrasta em relação a Bernardo.

Nesta tarde, a defesa da ré Graciele abriu mão de ouvir o depoimento das quatro testemunhas que havia arrolado. Total de testemunhas cai para 14, sendo uma convocada tanto pela acusação como pela defesa de Leandro Boldrini.

A sessão teve fim próximo às 21h e deve retornar com o depoimento de mais testemunhas a partir das 9h da terça-feira, 12 de março.

Foto destaque: TJ RS | Foto réus: Leonardo Carlini – Jornal O Alto Uruguai


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *