DÓ, RÉ, MI, FÁ… no palco da Unijuí

As sete notas musicais tão conhecidas no mundo todo nasceram da necessidade de organizar e entender as músicas dos antepassados. Foi no Período Medieval que o monge beneditino francês chamado Guido D’Arezzo construiu uma escala musical simplificada, que facilitou o aprendizado de alunos e, ao mesmo tempo, diminuiu os erros de interpretação de uma peça musical, por exemplo.

Para fazer a escala musical, o monge utilizou um hino cantado em louvor a São João Batista:

“Ut queant laxis Resonare fibris Mira gestorum Famuli tuorum Solve polluti Labii reatum Sancte Ioannes”

Das iniciais de cada verso, surgiram as sete notas musicais: UT, RÉ, MI, FÁ, SOL, LÁ e SI. A nota “SI” nasceu da junção das iniciais das últimas palavras. A maioria delas permanece da mesma forma até hoje. Apenas a “UT” foi substituída por “DÓ” alguns anos depois.

Em português o verso quer dizer:

“Para que teus servos, possam ressoar claramente a maravilha dos teus feitos, limpe nossos lábios impuros, ó São João.”

A organização da escala musical contribuiu para a compreensão da música na época e até hoje é importante para inúmeros gêneros musicais. A música erudita é um desses gêneros que utiliza as notas musicais para guiar suas composições. No próximo dia 26 de maio, será possível conhecer um pouco mais sobre esse gênero. O Salão de Atos Argemiro Jacob Brum, no Campus Ijuí da Unijuí, recebe o Concerto da Orquestra de Câmara da Unisc.

Os ingressos para assistir à apresentação do grupo estão disponíveis para compra nos caixas da Unijuí e Sede Acadêmica, Pano Leve e Literatus Xôk’s no valor de R$ 15,00 até o dia 10 de maio. Idosos, estudantes e egressos com a carteirinha pagam R$ 10,00.

 (Fonte/Foto: Divulgação Unijuí)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *