Gabriel Souza reivindica manutenção de recursos para pesquisas ligadas ao setor primário

Desde 2013, o estudo está em desenvolvimento por pesquisadores da UFSM e UFRGS

Em reunião realizada na última segunda-feira, 13, com o secretário estadual da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, Covatti Filho, o deputado Gabriel Souza solicitou a manutenção de recursos estaduais para continuidade de projeto de pesquisa em conservação do solo e da água desenvolvido pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), em parceria com o Governo do Estado. Os pesquisadores e professores dos departamentos de Solo da UFSM e da UFRGS, respectivamente, Jean Minella e Tales Tiecher, e a chefe do Centro de Pesquisa de Sementes do Departamento de Diagnóstico e Pesquisa Agropecuária (DDPA), Liege da Costa, afirmaram que os estudos contribuem para o aprimoramento da agricultura por meio do manejo da água em sistema de produção de grãos sob plantio direto

A pesquisa, inserida no contexto do projeto estadual Mais Água, é realizada desde 2013 no município de Júlio de Castilhos – onde está instalada grande parte da estrutura utilizada (equipamentos, estruturas hidráulicas de monitoramento, máquinas agrícolas, etc.). “A garantia deste trabalho é fundamental para questões que impactam diretamente o setor primário. Através do estudo é possível obter informações relevantes para o aumento de produtividade e redução da degradação dos solos e da água”, defendeu Gabriel.

De acordo com o professor Minella, a contrapartida do Estado será utilizada para fazer o custeio do estudo, já que a infraestrutura foi instalada com recursos garantidos através de edital aprovado pela Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP), do Governo Federal. “Estamos no auge da pesquisa com capacidade de grandes contribuições tanto para o setor produtivo de grãos como para evitar os mecanismos de degradação”, afirmou Jean. Tiecher complementou que é através do conhecimento que estratégias mais eficientes e rentáveis de produção poderão ser elaboradas.

A pesquisa

Nos estudos em Júlio de Castilhos estão sendo monitorados a dinâmica do escoamento superficial e seus processos associados (erosão, perda de fertilizantes e pesticidas, infiltração e umidade) na escala de lavoura com alto detalhamento, por intermédio de equipamentos modernos e excelente infraestrutura de laboratório e campo.

Juliane Pimentel/Assessoria de Imprensa 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *