Inicia germinação da soja no RS

O plantio da soja foi intensificado na maioria das regiões e atinge 10% da área projetada para esta safra. As lavouras semeadas apresentam boa germinação, emergência e ótimo estande de plantas. Somente nas áreas com maior umidade, evoluiu pouco, como no Médio Alto Uruguai. Já nas regiões do Alto Jacuí, Celeiro e no Noroeste Colonial, as áreas utilizadas com pastagens para os bovinos de leite, que apresentam menor resíduo de culturas e solo mais denso, possibilitaram o avanço da semeadura. De acordo com o Informativo Conjuntural divulgado pela Emater/RS-Ascar, ainda é significativo o movimento por parte dos sojicultores para aquisição dos insumos, mas a partir desta semana começa a reduzir a procura em relação à elaboração de projetos de crédito para custeio.

No milho, a semeadura do primeiro plantio já está encerrada nas regiões do Planalto Médio e Alto Uruguai. Nas demais regiões produtoras, a implantação avança e atinge no Estado 68% da área prevista para esta safra. As lavouras do cedo se encontram em desenvolvimento vegetativo (60%), com seis folhas abertas, receptivas à adubação nitrogenada e iniciando a floração (6%). O padrão das lavouras é muito bom, favorecido pelos dias ensolarados, temperaturas altas durante a tarde e amenas à noite, e livre de pragas e doenças. Lavouras com uniformidade de crescimento. Os produtores beneficiados com sementes do Programa Troca-troca estão sendo visitados para repasse de orientações sobre a cultura.

No feijão 1ª safra, há ainda poucas áreas a serem implantadas no Estado, especialmente na Zona Sul, no Vale do Rio Pardo e no Alto da Serra do Botucaraí. As demais já se encontram em fases mais adiantadas de desenvolvimento. As áreas de produção comercial dos Campos de Cima da Serra, que realizam a semeadura num período intermediário entre as duas safras da leguminosa, ainda não foram trabalhadas para a cultura do feijão, o que deverá ocorrer a partir de meados de dezembro.

Mesmo com o avanço da semeadura do arroz no Estado, que já atinge 64% da área prevista para esta safra, em algumas zonas da Fronteira Oeste e Campanha ocorre um pequeno atraso, em decorrência do inverno chuvoso, mas a expectativa é de conclusão do plantio das lavouras até o final da próxima semana. Nas demais áreas, o plantio deve ocorrer até o final de novembro. As barragens apresentam volumes elevados, que devem garantir a irrigação para o período necessário à cultura.

CULTURAS DE INVERNO
Segue a colheita das culturas de inverno, como do trigo, que já atinge 48% da área, restando apenas o Planalto Médio e o Alto da Serra do Botucaraí para iniciá-la. Atualmente, 41% das lavouras estão maduras e por colher, 10% em enchimento de grãos e 1% em floração. Os primeiros rendimentos estão variados, conforme os danos provocados pelos eventos climáticos. A forte incidência de doenças fúngicas, como giberela, septória e brusone, está levando à redução da produtividade e à perda de qualidade do produto. Tal fato está determinando que os triticultores recorram ao Proagro em parte das operações financeiras. A qualidade do produto colhido varia entre 76 e 78 de pH, (abaixo de 78 inviabiliza o aproveitamento para a industrialização), e a avaliação qualitativa dos grãos apresenta baixa força de glúten (W).

A colheita da aveia branca está encerrada nas lavouras destinadas para grãos e sementes na região Noroeste, e em final de colheita nas regiões Centro-Norte e Planalto, com produtividade e qualidade dos grãos bem abaixo do esperado.

A qualidade da cevada também foi prejudica pelas condições climáticas desfavoráveis, que ocasionaram severo ataque de doenças fúngicas nas espigas (septória e giberela). A maioria das cargas retiradas das lavouras é destinada para forragens, com valor abaixo do esperado pelo produtor, que recorre ao Proagro.

A canola está em final de colheita no Norte do RS. Na região Noroeste, já está finalizada, com produtividade média de cerca de 1,5 t/ha. Nas demais áreas do Centro-Norte, a lavoura de canola apresenta produtividade média um pouco abaixo da esperada, mas melhorando nas últimas lavouras em colheita, demonstrando produtividade final mais elevada. A qualidade em geral varia de regular a boa.

HORTIGRANJEIROS
A semana foi de condições favoráveis à horticultura No Vale do Rio Pardo e no Alto da Serra do Botucaraí. As culturas a campo e em ambientes parcialmente protegidos intensificam o desenvolvimento. Cultivos sem irrigação foram favorecidos pela ocorrência de chuva leve.

As lavouras de cebola e coentro para produção de sementes no município de Hulha Negra estão com bom desenvolvimento vegetativo, favorecidas pelo clima das últimas semanas. A venda de mandioca embalada a vácuo tem se intensificado na região e tem sido uma boa alternativa de renda para diversas famílias.

Milho verde – Toda área já foi plantada no Vale do Taquari, encontrando-se em desenvolvimento vegetativo inicial. Já no Litoral Norte, os produtores de milho verde para venda nas praias já realizaram adubação nitrogenada em algumas parcelas. O avanço do plantio está gradativo e lento sobre as áreas cultivadas com olerícolas. O preparo do solo está dificultado pelas chuvas constantes. O plantio do milho é feito em etapas para sempre ter a oferta do produto.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *