henrique
  • Por: Henrique Haefliger
  • Contato: henrique.haefliger@hotmail.com
  • Formação / Profissão:

Inovação, uma necessidade

Lean Manufacturing, um planejamento de ação para as empresas continuarem competitivas no mercado”

Em empresas de produto ou serviço da nossa região, ainda são utilizados princípios e práticas embasadas no sistema de produção em massa, criado por Henry Ford no início do século XX (muitos não dispõem de tal ciência), no entanto, esse sistema enfrenta dificuldades em alterações de processos, retrabalhos, altos investimentos em maquinas e infraestruturas, além de gerar estoques, o que hoje é considerado como custo para a empresa.

Diante da globalização, a eficiência e competitividade são palavras de ordem em qualquer empresa que pretende se manter no mercado. Nesse sentido houve uma decadência da produção em massa, pois as organizações viram a necessidade em aumentar a produtividade a partir da redução de desperdícios. Foi nesse senário de dificuldades que surgiu uma nova filosofia produtiva, onde seu objetivo é eliminar ou minimizar atividades que não agregam valor ao produto/serviço final. Modelo esse criado pelos japoneses, chamado de Sistema Toyota de Produção, onde denomina-se, Lean Manufacturing/Produção Enxuta, respeitado modelo de gestão que hoje é difundido e utilizado pelo mundo todo. O principal intuito do Lean Manufacturing é o aumento da produtividade utilizando menos recursos, uma produção ou serviço realizada sem desperdícios com a preocupação de uma melhoria continua. Desperdícios esses que são encontrados em 8 fatores: transporte, estoque, movimentação de pessoas, tempo de espera, produção excessiva, processamento excessivo, defeitos e habilidades pessoais.

Contudo a implantação é complexa, onde a empresa passa por diversos desafios durante sua inserção, principalmente pelo fato da cultura da empresa ser impactada diretamente, pois esse modelo altera a forma de pensar e agir perante a administração, os funcionários, a produção, os clientes e os fornecedores. Devido a isso, cito algumas ferramentas simples que auxiliam na metodologia, como ‘Programa 5S, Just-in-time, Kaizen, Kanban, Ciclo PDCA e Poka-Yoke’ e algumas ferramentas da qualidade como Diagrama de Pareto, Brainstorming, Diagrama de Causa-e-efeito e 5W2W, além disso, indico três livros onde suas leituras são indispensáveis para tal transação, “A Máquina que Mudou o Mundo” (história da criação do automóvel), O Sistema Toyota de Produção e Soluções Enxutas – creio que todos prestadores de serviços deveriam ler este último livro.

A mudança no gerenciamento da empresa sempre deve ser vista como um planejamento de ação, em momentos de dificuldades e mudanças, precisa-se observar as oportunidades que estão ao redor, além de admitir e acreditar que as mudanças e atualizações são os melhores fatores a se desempenhar para sair de uma situação negativa. O assunto dessa coluna é muito amplo e complexo em sentido da grande importância empresarial que a mesma proporciona, neste sentido fico a disposição para maiores detalhes e informações, pois, afirmo que está filosofia se transformou em um elemento essencial na manutenção da competitividade das empresas que, independente do porte, encontram nesta prática um caminho assertivo na busca da maior qualidade e do menor custo.

A próxima coluna, será um elo de cases de sucesso e algo que todos nós evitamos diariamente, o fracasso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *