henrique
  • Por: Henrique Haefliger
  • Contato: henrique.haefliger@hotmail.com
  • Formação / Profissão:

Inovação, uma necessidade

Tens medo do fracasso? E se ele não for seu pior inimigo?

Algo em comum entre se gerenciar uma empresa e gerenciar a própria vida pessoal é que sempre evitamos o fracasso. ‘Aos olhos da sociedade’, fracassar é sinônimo de derrota é tornar-se alvo de críticas e rejeições, de modo que, empresas ou gestores que faliram, são vistos como um fracasso/fracassados. No entanto, especialistas nos ensinam que é normal sentirmos medo do fracasso, fato esse, aliado com a ciência do julgamento por parte da sociedade, acontece quando não se sentimos confiantes ou capazes de realizarmos alguma tarefa. Além disso, muitas vezes estamos tão focados no sucesso, que esquecemos do que é realmente necessário para alcança-lo.

Não é novidade para ninguém que sentir medo é natural, de certa forma, o mesmo é um mecanismo de defesa criado pelo nosso cérebro que serve para nos proteger de perigos que nos ameaçam, sendo assim, subtendo que o fracasso pessoal ou empresarial pode ser uma consequência, mas o medo não, de forma que quando o medo nos impede de alçar nossos objetivos, ele passa a ser um problema.

Referencio Carlos Domingos (profissional que possui uma das carreiras mais premiadas e bem-sucedidas da publicidade brasileira, além de ser escritor e empresário) pela seguinte oposição que faz em um de seus livros, “E se o fracasso não for um inimigo tão grande? E se for uma etapa necessária para se chegar ao sucesso? ”. Domingos quer transmitir que aprendemos com nossos fracassos, pois é a partir deles que refizemos nossos planos e organizamos nossas direções para alcançar novos objetivos.

É difícil falar em fracasso sem falar da Apple, com o visionário Steve Jobs, onde o mesmo chegou a ser demitido da própria empresa – mais tarde retornou – a mesma é considera a empresa “colecionadora de fracassos”, em sua história, chegou a deter dá insignificante porcentagem de 3% das vendas no mercado mundial, hoje é uma das empresas multinacionais mais respeitadas mundialmente, durante vários anos consecutivos foi considerada a marca mais valiosa do mundo, onde seus produtos são sonhos de consumo e tecnologia por grande parte do mundo.

Sim, eu sei que enfrentar nossos medos é complicado, da mesma forma que, não quero dizer que primeiro precisamos fracassar para depois conseguirmos algo bom ou o sucesso, mas o que não devemos deixar acontecer é que o medo do fracasso se torne nosso maior problema.

O ano era 1873, acontecia na região da Califórnia/EUA a então ‘corrida do ouro’, onde a mesma atraiu mais de 300 mil pessoas para região. Sabendo de tal notícia e no sentido de ter identificado uma oportunidade de negócio, um jovem vendeu tudo o que tinha e investiu em tecidos/lonas para barracas, porém, chegou tarde demais, já existia vendedores de tecidos no local, inclusive, tecidos muito melhores que os seus. Já pensando em abandonar seus negócios, um certo dia um rapaz chegou e pediu:

–  O senhor tem calças?

– Calças?

– Sim, as minhas rasgaram, preciso de outra, mas uma mais resistente.

O jovem comerciante então olhou em volta e viu que praticamente todos os garimpeiros estavam na mesma situação, de modo que imediatamente teve uma ideia e pediu para o garimpeiro voltar mais tarde.

O jovem comerciante pegou seu rolo de tecido e foi até uma alfaiataria, onde pediu:

– Você pode fazer uma calça com este tecido?

-Com lona? É muito grossa, quem vai querer uma calça tão desconfortável, áspera e quente? – Exaltou o alfaiate.

FIM da história – O mundo inteiro, essa é a história da criação do Jeans, a roupa mais universal criada pelo homem.

Este case nos traz a lição que não devemos ter medo de mudar, precisamos enxergar as oportunidades que estão ao nosso redor, bem como, possuir flexibilidade e adaptabilidade para conquistar essas novas demandas, pois nossa vida pessoal e o ramo empresarial são cobertos de oscilações e riscos, nada é para sempre e nada é permanente, não existe forma ou tecnologia que seja capaz de prevermos o futuro, no entanto, precisamos aprender uma coisa muito importante, ‘devemos estar preparados para aceitar as mudanças’. No case das calças Jeans, o jovem comerciante evitou o fracasso porque encarou a mudança.

Concordo que o medo seja um sentimento trivial, mas não considero que o ‘medo do fracasso’ seja nosso pior inimigo, não são os processos das mudanças ou das tarefas que nos causam medo do fracasso, mas sim, a falta de conhecimento e capacitação para o assunto/segmento que desejamos encarar; a falta de planejamento no intuito de se prever os possíveis riscos e dificuldades, e principalmente, estar rodeado de pessoas que nos colocam para baixo e que recordam apenas nossas fraquezas, portanto, na minha opinião, esses fatores sim são os nossos piores inimigos perante ao sucesso, pois nos inibem de possuirmos a coragem.

Em oposto, aconselho que não façam parte da ‘sociedade que menospreza aquele que fracassou’, não lembrem e julguem as pessoas apenas pelos erros que são cometidos, elas podem estar acertando todos os dias, enxerguem isso; está mais que na hora de elogiarmos, valorizarmos e lembrarmos das pessoas pelos acertos, de forma que quando errarem por motivos leigos, ajudamo-las sem humilhação.

Se tem conhecimento de uma história de um homem, que quando criança trabalhava para sustentar sua família (perdeu a mãe cedo), quando adulto perdeu diversos cargos na política e em repartições públicas, abriu duas empresas que logo faliram (em uma delas, passou dezessete anos de sua vida pagando a dívida); sua noiva faleceu; teve um grave colapso nervoso e quase veio a óbito; com 45 anos de idade concorreu ao Senado e não venceu; concorreu a nomeação de um partido e foi derrotado; perdeu 8 eleições, mas não desistiu, continuou acreditando em si mesmo e que poderia fazer a diferença, aos 51 anos de idade Abraham Lincoln venceu e foi eleito Presidente dos Estados Unidos. Devido sua perseverança, tornou-se um dos mais importantes presidentes da história dos EUA. Portanto, vai desistir agora por medo do fracasso?

“O campo da derrota não está povoado de fracassos, mas de homens que tombaram antes de vencer”. (Abraham Lincoln)

– Referência dos cases citados na coluna:

DOMINGOS, Carlos. 2009. Oportunidades Disfarçadas. Editora Sextante. ISBN 978-85-7542-897-9.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *