Júri Popular condena 4 réus do Caso Bernardo

Após 5 dias de julgamento, a Juíza, Sucilene Werle realizou no início da noite desta sexta-feira, 15 de março, a decisão do julgamento do Caso Bernardo. O júri popular considerou os quatro réus culpados, conforme acusação feita pelos promotores do Ministério Público.

Leandro Boldrini foi condenado a 33 anos e 8 meses de prisão, sendo 30 anos e 8 meses por homicídio, 2 anos por ocultação de cadáver e 1 ano por falsidade ideológica.

Gracieli Ugolini, madrasta de Bernado, foi condenada a 34 anos e 7 meses de prisão, sendo: 32 anos e 8 meses por homicídio e 1 ano e 11 meses por ocultação de cadáver.

Edelvânia Wirganovicz foi condenada a 23 anos de reclusão, dos quais, 21 anos e 4 meses pelo homicídio e 1 ano e 6 meses por ocultação de cadáver.

Para Evandro Wirganovicz, a pena total fixada foi de 9 anos e 6 meses, sendo 8 anos por homicídio simples e 1 ano e 6 meses por ocultação de cadáver.

Em breve mais informações.

SOBRE O CASO

Bernardo desapareceu em Três Passos, em 4/4/14, e seu corpo foi encontrado dez dias depois em uma cova vertical, à beira de um riacho na cidade de Frederico Westphalen.

Conforme perícia, Bernardo morreu por efeito da substância midazolan, detectada nos rins, estômago e fígado da vítima. Graciele, segundo a denúncia, foi responsável pela aplicação da medicação, Leandro agiu como mentor do crime, e Edelvânia e Evandro ajudaram na consecução.

Um comentário em “Júri Popular condena 4 réus do Caso Bernardo

  • 16 de março de 2019 at 09:57
    Permalink

    A justiça foi feita corretamente. Lamentável que a lei brasileira permita a progressão da pena. Este tipo de crime merecia a prisão perpétua, é hediondo. Os réus acabaram com suas vidas, jamais serão aceitos na sociedade honesta. Estão tão mortos quanto à indefesa vítima que assassinaram friamente.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *