Mobilização regional na BR 468, em Esquina Boa Vista, deverá marcar Greve Geral na região Celeiro nesta sexta

A Greve Geral convocada pelas principais centrais sindicais e movimentos sociais do Brasil para esta sexta-feira, 14 de junho, deverá contar com atos em pelo menos 150 municípios do Rio Grande do Sul. Os sindicalistas prometem greve geral no Estado contra a proposta de reforma da Previdência, com a paralisação de serviços de transporte, atos públicos e acampamentos às margens de rodovias.

Na região Celeiro, o comitê em defesa da previdência pública, integrado por uma série de entidades sindicais, movimentos sociais e organizações da sociedade civil, como sindicatos dos municipários, Fetraf, Fetag, CPERS, OAB, MPA, Sindisprev, Acamrece, sindicato dos bancários, sindicato da construção civil, sindicato dos trabalhadores nas indústrias de carnes e de soja, indígenas, estudantes de escolas públicas, institutos federais e universidades, entre outros, estará realizando uma grande mobilização no trevo de entroncamento da BR 468 com a ERS 155, em Esquina Boa Vista, no município de Campo Novo, na divisa com São Martinho e Santo Augusto.

Naquele ponto, a Fetraf-RS, com apoio do Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA), estabeleceu desde quarta-feira um Acampamento pela Previdência, repetindo o que está acontecendo em outras cinco regiões do Estado: Erechim, Sarandi, Sananduva, São Lourenço do Sul e Espumoso.

Na mobilização regional, são esperados pelo menos 500 manifestantes na tarde desta sexta-feira, quando o trânsito deverá ser bloqueado por algumas horas para a realização de um ato público. Já pela manhã, o trânsito será bloqueado parcialmente, para a entrega de material informativo, denunciando aquilo que as entidades sociais destacam como retrocessos para a classe trabalhadora, tanto urbana quanto rural, na proposta da atual reforma previdenciária apresentada pelo governo de Jair Bolsonaro.

A ideia do grupo também é sensibilizar a sociedade para que busque contato com os deputados federais do Rio Grande do Sul, clamando por apoio e para que sejam revistos pontos centrais da proposta, como a capitalização da previdência, a retirada do texto previdenciário da constituição, assim como a idade mínima para aposentadoria, principalmente das mulheres, os benefícios especiais para pessoas com deficiência, assim como as mudanças no BPC – Benefício de Prestação Continuada.

Na sexta-feira também devem acontecer manifestações na cidade de Três Passos, a partir da organização de estudantes e professores de escolas públicas. Muitos servidores públicos de municípios e de órgãos vinculados ao Estado, também prometem parar nesta sexta-feira, para fortalecer o movimento de inconformidade com as mudanças que estão sendo propostas para a previdência pública.

Entre os 150 municípios onde há atos programados, estão Caxias do Sul, Passo Fundo, Santa Maria, Santa Rosa, Pelotas, Santa Cruz do Sul, Lajeado, Ijuí, Rio Grande, São Leopoldo, Novo Hamburgo, Uruguaiana e Frederico Westphalen. Em Porto Alegre, o ponto de encontro será na Esquina Democrática, a partir das 17h.

acampamento2

(Fonte: Comitê Celeiro em Defesa da Previdência Pública / Fotos: Fetraf-RS)   

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *