Novembro Azul: Você tem que encarar a realidade

Estamos na última semana de novembro, mês dedicado ao combate e conscientização sobre o Câncer de Próstata, uma doença silenciosa. Para falar sobre isso, nada melhor do que conversar com alguém que já passou pela doença e a partir dela

DSC_8398Comecei o preventivo dentro das indicações da época, com 50 anos de idade, indicação que hoje já reduziu para 40 anos. Fiz a escolha de médico através de indicações e desde então realizava os exames periodicamente. Sempre fiz o exame de PSA acompanhado do exame de toque.
É um exame muito simples, porém carrega todo um preconceito. Inclusive meus amigos brincam comigo a respeito, eu levo numa boa, mas essas brincadeiras são prejudiciais, pois criam um tabu sobre a realização do exame, que é algo essencial.
A falta de conhecimento sobre a importância e do porquê desta forma de exame são completamente prejudiciais. Tenho amigos meus que beiram aos 70 anos e só fazem o PA, devido a esse preconceito.
Descobri o meu câncer dentro dos exames de rotina, quando a próstata começou aumentar, o PSA também começou a subir. O médico me receitou uma carga de antibiótico, pois o PSA sobe com processos inflamatórios e infecciosos na região da próstata, mas quando eu terminei a medição meu PSA não baixou, iniciou uma variação. Foi aí que eu comecei a achar que a minha situação não era muito agradável.
Quando meu PSA chegou a sete precisei fazer a biópsia e foram constatados 3 tumores pequenos contidos dentro da próstata. A indicação foi a cirurgia, prostoctomia radical, com a retirada de vesículas seminais, com tudo.
Basicamente quando se faz esse tipo de cirurgia, você é dado como curado. Esse é um dos enganos. Um ano após o processo, meu PSA começou a subir novamente. Então, alguns meses após, houve a indicação de radioterapia. Então eu fui, fiz as 35 sessões, que ocorreram por 35 dias, onde eram 5 sessões por semana, com descanso no sábado e domingo. Finalizei esse processo há, mais ou menos, 40 dias. Agora estamos aguardando exames para que ele não reincida.
Pedro Luiz Alves Garcia, 64 anos,
Médico Veterinário,
Descobriu o carcinoma de próstata há dois anos

A importância do acompanhamento preventivo:

Como realizava os exames rotineiramente, apesar de ter 3 tumores, eles estavam contidos. Não havia nenhuma metástase, que é quando o câncer se espalha por outras partes do corpo, o que foi muito bom. Se o câncer de próstata não for rapidamente diagnosticado e tratado ele pode fazer metástase nos linfo nódulos ingnais e cair na cadeia linfática.

Sentimentos:

O sentimento acredito que seja natural. Me perguntei ‘por que?’, ‘o que aconteceu?’, ‘por que eu?’. Eu não possuo nenhum histórico de câncer de próstata na minha família e somando a família da minha mãe e do meu pai, encontramos apenas um caso de câncer de pulmão, em um tio meu. Se você tiver uma vida saudável você evita inúmeras doenças, mas já está praticamente comprovado que o estresse é um dos maiores causadores de câncer.
Então, na hora o sentimento é mais ou menos esse: procurar uma razão para o que está acontecendo contigo. E é muito difícil, pois depois, logo em seguida você acaba se conformando que aconteceu, mas que é remediável de várias maneiras. Aí você se entrega ao médico e ele toma as decisões por ti.

O que foi mais importante no processo?

Para mim foi isso que todo mundo fala: o apoio familiar é muito decisivo, nesse período. Por que normalmente você precisa de um apoio, de pessoas. E em primeiro lugar vem a sua família, somente depois os amigos.
Tive apoio das mulheres pertencentes ao grupo “Lutadores e Lutadoras unidos”. As mulheres tem uma percepção bem diferente do homem, uma aceitação melhor. Elas cuidam da saúde mais cedo e melhor que os homens. O homem não vai no médico, foge das situações por medo do resultado, além da gozação dos amigos e das brincadeiras que são altamente prejudiciais. Sempre existem aqueles que não fazem o exame devido a isso, levam a sério essas piadas e criam esse tabu em cima de algo tão importante. Por isso, hoje em dia os cânceres de próstata são descobertos em estágios muito mais avançado do que os de colo de útero e mama femininos.
Então vem a grande importância de ações como o Novembro Azul. Que levam conhecimento e as ações do sistema de saúde pública, através dos ESF’s para toda a população, até por que o exame de toque que identifica o câncer de próstata é muito simples, não requer coleta de material e nenhum equipamento especializado. Precisamos que haja essa popularização do exame de toque masculino.

Recado:

O grande detalhe é o seguinte: você não tem uma outra saída a não ser os procedimentos naturais. O grande detalhe da cura do câncer é você querer. Você não pode se negar aos tratamentos.
Basicamente, o que eu senti nos processos de tratamento do meu câncer é o pós-cirúrgico e o processo da radioterapia, que lhe provocam alguns efeitos, algumas consequências. O câncer de próstata é silencioso, ele não te faz sentir nada, a não ser, em alguns casos, a dificuldade de urinar. Então, se você não fizer os exames rotineiros, você descobre quando não há mais solução.
Procure apoio na sua família, nos seus amigos e em grupos de pessoas que já passaram pelo que você está passando. Isso tudo é muito importante. Você tem que encarrar a realidade da vida, mudar os seus conceitos.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *