Secretaria Estadual de Saúde divulga dados da vacinação de adolescentes

Em entrevista coletiva realizada na manhã desta sexta-feira (1º), o secretário estadual da Saúde, João Gabbardo dos Reis, e o secretário municipal de Saúde de Porto Alegre, Erno Harzheim, apresentaram dados da Semana Estadual de Multivacinação dos Adolescentes. Entre 21 e 25 de agosto, foram aplicadas em todo o Estado 119.259 doses de seis vacinas, que protegem contra a hepatite B, febre amarela, HPV, sarampo, caxumba, rubéola, difteria e tétano.

Em relação à imunização contra o HPV, foram aplicadas 30 mil doses em meninas e 36 mil em meninos. A faixa etária da vacina contra o HPV tinha sido estendida, em caráter excepcional, para até 26 anos, já que havia lotes com validade até o mês de setembro. Em função do número de doses aplicadas durante a Semana Estadual de Multivacinação, esses lotes já esgotaram e, a partir da próxima segunda-feira (04), em todo o Rio Grande do Sul, a vacina voltará a ser aplicada apenas em meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos. “Porém, os jovens entre 15 e 26 anos que iniciaram o esquema vacinal na Semana de Multivacinação têm a segunda e a terceira dose garantidas na rede pública”, declarou Harzheim. A Semana Estadual de Multivacinação foi realizada em parceria com as secretarias municipais de Saúde e a Secretaria Estadual da Educação.

Doses aplicadas por vacina

Hepatite B: 3.720 doses

Febre amarela: 7.417 doses

Tríplice viral: 5.548 doses

Dupla bacteriana: 15.806 doses

HPV: 30.557 doses em meninas e 36.231 em meninos

Meningo C: 19.980 doses

TOTAL: 119.259 doses

Meningite e gripe

Durante a coletiva, também foram divulgados os dados atualizados de meningite e gripe. Em 2017, o Estado já tem 64 casos confirmados de meningite, sendo 9 óbitos entre eles. No mesmo período do ano passado, havia 55 casos confirmados da doença e 9 óbitos.Os municípios com os maiores números são Canoas, com 9 casos e 4 óbitos, e Porto Alegre, com 11 casos e 2 óbitos. Gabbardo enfatizou que a situação está sob controle. “Não há surto de meningite em Canoas. Os casos confirmados foram causados por bactérias de subgrupos diferentes, foram registrados em semanas distintas e não são no mesmo local da cidade”, ressaltou.

Em relação à gripe, em 2017 já foram confirmados 420 casos e 41 óbitos. Em 90% dos óbitos, os pacientes apresentavam algum fator de risco, como doenças crônicas, e apenas 9 eram vacinados. “Isso reforça o quanto a imunização é benéfica nestes grupos”, declarou o secretário estadual.

No mesmo período do ano passado, o Estado tinha 1.326 casos e 204 óbitos. Diferente de 2016, quando o predomínio foi de Influenza A (H1N1), neste ano o maior número de casos foi de Influenza A (H3N2), um tipo menos agressivo da doença.

Fonte Assessoria de Imprensa / Secretaria Estadual de Saúde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *